Instituto Trancoso |
1
post-template-default,single,single-post,postid-1,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Diferentes momentos e transformações históricas ocorreram na Educação Infantil. Chamada anteriormente de pré-escola, deveria preparar os alunos para a entrada na fase escolar formal. Em 1996, com a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), a Educação Infantil é vista com outros olhos e passa a fazer parte da Educação Básica. Em 2009, com a emenda constitucional, a Educação Infantil de 4 a 5 anos torna-se obrigatória nas redes públicas de todo o Brasil, deixando claro a importância desta etapa na formação da criança.

Em 1998 é publicado as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil que estabelecem o que deve ser ensinado, orientando o trabalho desta etapa de ensino e é organizado em sete eixos: matemática, linguagem oral e escrita, natureza/sociedade, artes visuais, identidade e autonomia, conhecimento de mundo, música.

Em 2009, as Diretrizes Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI), foram publicadas e o documento tinha como foco as interações e a brincadeira como eixos estruturantes, considerando os princípios éticos, políticos e estéticos como norteadores da produção do conhecimento e colocando a criança como protagonista de sua aprendizagem.

Em dezembro de 2017, a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi aprovada e são reforçados os direitos de aprendizagem e desenvolvimento de bebês e crianças de 0 a 5 anos: conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se, elementos fundamentais do desenvolvimento da criança e precisam ser estimulados desde cedo para que desenvolvam de maneira integral.

Para organizar as experiências concretas da vida das crianças e seus saberes com os conhecimentos que fazem parte do nosso patrimônio cultural, a BNCC trouxe um arranjo curricular distribuídos em campos de experiências, baseados nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Os campos de experiências são:

 

O eu, o outro e o nós

 

O convívio com outras crianças e com adultos leva os pequenos a constituírem um modo próprio de agir, sentir e pensar, descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista. Ao mesmo tempo, elas constroem sua autonomia e senso de autocuidado, de reciprocidade e de interdependência com o meio.

 

Corpo, gestos e movimentos

 

Desde cedo, com o corpo, por meio dos sentidos, gestos e movimentos, as crianças exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno. Estabelecem relações, expressam-se, brincam e produzem conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e cultural. E por meio das diferentes linguagens, como a música, a dança, o teatro, as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e se expressam com o corpo, emoção e linguagem.

 

Traços, sons, cores e formas

 

O contato com diferentes manifestações artísticas, culturais e científicas no cotidiano da escola, possibilita às crianças, por meio de experiências diversificadas, vivenciar várias formas de expressão e linguagens. Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens, criando suas próprias produções artísticas ou culturais. Essas experiências contribuem para que, desde muito pequenas, as crianças desenvolvam senso estético e crítico, o conhecimento de si mesmas, dos outros e da realidade que as cerca.

 

Escuta, fala, pensamento e imaginação

 

Enfatiza as atividades práticas com foco na linguagem oral, ampliando as formas de comunicação da criança em situações sociais. Fazem parte desse campo as experiências com cantigas, jogos cantados, brincadeiras de roda, conversas, entre outras.

 

Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações

 

As crianças vivem inseridas em espaços e tempos de diferentes dimensões e sempre procuram se situar, seja em ruas ou em saber o que é dia ou noite, ontem ou amanhã. Demonstram também curiosidade sobre o mundo físico, como seu próprio corpo, os fenômenos atmosféricos, os animais, as plantas e as transformações da natureza. E o mundo sociocultural, com as relações de parentesco e sociais entre as pessoas que conhece. Também se deparam, frequentemente, com conhecimentos matemáticos, como contagem, ordenação, relações entre quantidades, dimensões, medidas, pesos e de comprimentos, avaliação de distâncias e reconhecimento de formas geométricas que igualmente despertam a curiosidade.

 

As crianças aprendem interagindo, explorando, conversando, convivendo e, automaticamente, se conhecendo em todo o processo.

A Educação Infantil é um alicerce para a aprendizagem. Ela socializa, desenvolve habilidades, melhora o desempenho escolar no futuro, promove o lúdico, o ético, a cidadania e os laços afetivos, propiciando à criança resultados efetivos para toda a vida.

 

Janaina Peruzzo

Coordenadora da Educação Infantil/Fundamental I